Blogspot Siga-me no Twitter FanPage no Facebook

Colunistas  Marco Antonio de Tommaso

voltar

Beleza & saúde

Detalhes sobre o colunista

Data: 27/08/2005

Título: Real Beleza: a beleza "real"

Quando atendo uma jovem com transtorno alimentar não posso deixar de questionar a influência que os meios de comunicação tiveram sobre sua idéia central de "perfeição física" que contribuiu para levá-la a esse quadro. A busca de um "ideal" de beleza, que nem ela sabe qual é, e que foi o desencadeante de um mórbido processo.

Parece que a cultura impôs a ela uma referência única, um único parâmetro e a fez interiorizar, via repetição exaustiva, um "ideal" que, efetivamente, nem ela nem ninguém possuem. Insistentemente, seus sentidos foram bombardeados com imagens utópicas dizendo-lhe "você não é assim! E, se não é, será rejeitada". Aos bilhões de dólares arrecadados pouco importa a saúde desta e de outras jovens. O padrão foi a ela imposto com a promessa da "terra prometida" da conquista, da felicidade, fortuna e da inclusão social! A chave da aceitação e da unanimidade.

A campanha pela "REAL BELEZA" da Unilever - Dove traz uma proposta extremamente coerente com um conceito de beleza saudável, acessível e democrática, conforme postulada pela área de saúde, que, no entanto, não dispõe da força necessária sequer para prevenção, infelizmente. Não posso deixar de me encantar diante desse conceito da DOVE, que restabelece o equilíbrio entre beleza e qualidade de vida.

Ao colocar pessoas bonitas e "normais", freqüentemente falando, sem negar a beleza das modelos, mais as conceituando não mais como "mais que", mas "diferente de" assume que a beleza do "padrão" é uma forma de beleza, mas não a beleza em si. Retira da beleza o caráter de "mito" e a coloca dentro do principio de realidade.

Em outras palavras, a DOVE propõe a beleza como algo a ser usufruído e não como algo a ser temido. Propõe o desenvolvimento de valores e a mudanças de crenças que permitam às pessoas uma visão crítica dos estereótipos vigentes e traz de volta a reflexão. O velho conceito de auto-estima, tão desprezado em nosso tempo, está de volta, resgatando a tábua de valores da mulher que se perguntará "é bom para mim?" antes de assumi-los como lei. A inclusão de outros critérios como auto-realização, cordialidade, felicidade, autoconfiança, empatia, trazem a beleza para o lado real e factível para seres humanos normais. Difunde a "beleza feliz", com imperfeições (porque não?), mas com todas as nuances de individualidade.

Enfim, a REAL BELEZA de cada mulher.

Data Título
10/11/2010 BULIMIA
26/01/2009 Por que modelos podem desenvolver transtornos alimentares?
26/01/2009 Psicologia do Emagrecimento: A MAGIA: SER EMAGRECIDO II
03/01/2009 Ansiedade e comida
10/07/2008 Conversando com Modelos: auto-estima
12/02/2007 Modelo (manequim) subnutrida não desfila!!!
22/01/2007 SPFW e transtornos alimentares
16/08/2006 AUTO-ESTIMA: aquisição
04/02/2006 Gisele e a síndrome do pânico
14/10/2005 A importância da auto-imagem
27/08/2005 Real Beleza: a beleza "real"
19/08/2005 A "Fórmula 1" da beleza
19/08/2005 Beleza: Uma questão de imagem e auto-imagem
23/05/2005 Ser, estar e sentir-se bonita
03/04/2005 Inimigos de modelos
28/10/2004 Beleza feminina: a pesquisa Unilever -Dove
14/05/2004 Auto-estima: sem ela você não trabalha
11/02/2004 Timidez
11/01/2004 Deu branco?
20/12/2003 Psicologia Descomplicada 1: Emagrecimento
26/11/2003 Sinais da anorexia
23/08/2003 Profissões de alta performance
15/06/2003 Quadril 90
01/06/2003 O estresse na vida dos modelos
07/05/2003 Auto-estima e a profissão de modelo
06/04/2003 Auto-estima
06/03/2003 10 dicas para modelos
06/02/2003 Perguntas sobre auto-imagem II
10/01/2003 Perguntas sobre auto-imagem I
28/12/2002 Raiva
20/12/2002 Top não é "toupeira"
09/12/2002 Por que psicologia para modelos?
 


Sexta  20.04.18
esqueci a senha
cadastre-se
associe-se
 


Termo de compromisso    |    Política de privacidade    |    Parcerias    |    Publicidade
Seja um colaborador

Copyright © 2002 Libardi Comunicação. Todos os direitos reservados.